Categorias
SLIDE

Família diz que eletricista pode ter sido assassinado por engano em Gurupi

A família do eletricista Manoel Pereira da Silva, de 51 anos, acredita que ele pode ter sido assassinado por engano em Gurupi, na noite desta terça-feira (16). Ele foi baleado no momento em que estava sentado na mesa de um bar. Getúlio Ferreira Martins, de 56 anos, que também estava no local com a vítima ficou ferido e está internado no Hospital Regional de Gurupi. Além de Manoel, outras duas pessoas foram assassinadas na cidade, na mesma noite. (Veja o vídeo)

“Ele não fazia mal a ninguém. Isso foi um erro, pelo amor de Deus, eu peço Justiça”, lamentou a filha da vítima, Cláudia Araújo.

Segundo testemunhas, dois homens passaram em uma motocicleta atirando várias vezes. O eletricista levou quatro tiros e morreu no local. “Ele não devia nada para ninguém”, disse a nora da vítima, Joelma Araújo.

Uma testemunha, que preferiu não se identificar, disse que conhecia as vítimas e viu quando os criminosos atiraram. “Eu acho que não era para ele, não. Foi engano. Pegou tiro errado nele porque ele estava sentado. Foi atirar no outro, o outro se escondeu detrás aí continuaram atirando e acertou ele”.

Crimes

Ao todo, três pessoas morreram na mesma noite em Gurupi. Além do eletricista, também foram assassinados a tiros Rogaciano da Rocha Santos, de 34 anos, e a travesti Daniela Cicarelli, de 24 anos.

A travesti foi morta na rua Santana, no setor União II. O local, segundo os moradores, é usado como ponto de prostituição.

A Polícia Civil informou que ela estava sozinha no local, quando foi surpreendida. Os suspeitos do crime também estavam em uma motocicleta. O corpo foi liberado e está sendo velado na cidade. Segundo a polícia, o ponto também era frequentado pela travesti conhecida como Natália, assassinada a tiros em outubro do ano passado.

Rogaciano da Rocha foi assassinado no setor Jardim Eldorado. O borracheiro Antonio Filho estava em casa e ouviu os disparos. Um dos tiros perfurou o portão da casa dele. “Era doze e pouco da noite e eu escutei os tiros. Quando eu olhei, o homem estava no chão”.

Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *