Presos dormem amontoados no banheiro e têm doenças de pele no presídio de Palmas, diz Defensoria

A superlotação continua sendo um problema na Casa de Prisão Provisória de Palmas. Numa vistoria feita na unidade, a Defensoria Pública do Tocantins registrou detentos dormindo amontoados no chão e até no banheiro das celas. Além disso, há presos com doenças de pele, como furúnculos, micoses, coceiras e feridas expostas pelo corpo.

O G1 aguarda um posicionamento da Secretaria de Cidadania e Justiça sobre a situação na CPP.

A vistoria foi feita no fim de janeiro nas celas 1,2,3 e 4. Em cada uma, tem cerca de 40 presos, sendo que a capacidade é de 10 pessoas. Por causa da superlotação, eles precisam se revezar para dormir. Além disso, cinco detentos usam o banheiro como dormitório.

Os presos reclamaram que o atendimento médico na unidade é deficiente e que não são prontamente atendidos, quando precisam.

A Defensoria Pública do Tocantins informou que enviou ofício e relatório da vistoria à Secretaria Estadual da Cidadania e Justiça.

No documento, a Defensoria pede que os detentos que apresentam algum tipo de doença da pele recebam atendimento médico e que seja emitido um relatório da equipe de saúde sobre a condição dos reeducandos e eventual identificação de doença transmissível.

Pediu ainda que os profissionais da saúde façam monitoramento e trabalhem na identificação das patologias transmissíveis e garantam o tratamento adequado.

Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.


Was This Post Helpful:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Deixe seus Comentario