Theresa May anuncia renúncia ao cargo de primeira-ministra do Reino Unido

Líder do Partido Conservador deixará governo em 7 de junho; escolha do novo líder deve ocorrer até o fim de junho. May não resistiu ao fracasso na condução do processo do Brexit.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou nesta sexta-feira (24) que vai deixar o cargo em 7 de junho. A renúncia foi anunciada após a líder do Partido Conservador fracassar na condução do Brexit, processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Theresa May comunica que renunciará no dia 7 de junho
Bom Dia Brasil
Theresa May comunica que renunciará no dia 7 de junho

Theresa May comunica que renunciará no dia 7 de junho

May, que vinha sofrendo uma forte pressão para deixar o cargo — inclusive dentro do seu próprio partido —, declarou ao discursar que fez o seu melhor ao tentar implementar o Brexit. Agora, os conservadores iniciarão um processo para escolher o novo líder do governo.

“Eu fiz tudo o que eu podia para convencer os parlamentares a apoiarem esse acordo [do Brexit]. Infelizmente, eu não fui capaz de fazer isso. Eu tentei três vezes. Então, hoje eu anuncio que estou deixando a liderança do Partido Conservador e o governo na sexta-feira, 7 de junho. Então, um sucessor pode ser escolhido”, disse May.

A primeira-ministra britânica, que tem 62 anos e está há quase três anos no poder, afirmou que decidiu deixar o cargo após o terceiro fracasso em aprovar no Parlamento Britânico o acordo costurado por ela com a União Europeia sobre o Brexit.

“Sempre será motivo de profundo pesar para mim que eu não tenha sido capaz de entregar o Brexit”, afirmou a premiê, que ficou com a voz embargada e chegou a chorar no fim do seu pronunciamento.

“Eu, em breve, vou deixar a função que foi a honra da minha vida: a segunda primeira-ministra mulher, mas certamente não a última. Eu fiz isso sem ser obrigada, mas com uma gratidão enorme e duradoura em ter tido a oportunidade de servir o país que eu amo.”

Agora, o favorito para ocupar o cargo que será deixado por May é o ex-ministro de Relações Exteriores e ex-prefeito de Londres, Boris Johnson, que liderou a campanha em defesa do Brexit. Johnson já admitiu ter a pretensão de assumir a liderança. Outros quatro políticos estão entre os que têm mais chances de ocuparem o cargo.

O processo de sucessão deve começar em 10 de junho. A oposição pede eleições gerais. O processo de escolha do novo líder deve ser concluído até o fim de junho, antes da folga de verão do Parlamento, que tradicionalmente ocorre em julho.

May tinha prometido deixar cargo

May já tinha prometido que deixaria o governo assim que seu acordo com a UE fosse aprovado. No início da semana, ela apresentou sua última proposta a ser submetida aos deputados britânicos. A premiê propunha que os parlamentares votassem, após a aprovação da íntegra do texto, se o documento final deveria ou não passar por um segundo referendo.

A proposta foi um fracasso e motivou, na última quarta-feira (22), a renúncia de outra figura importante no Partido Conservador, a líder do governo na Câmara dos Comuns, Andrea Leadson — contrária à ideia de um novo referendo.

Vídeo explica histórico do Brexit

Entenda o Brexit e quais foram as propostas até a renúncia de Theresa May
G1 Mundo
Entenda o Brexit e quais foram as propostas até a renúncia de Theresa May

Entenda o Brexit e quais foram as propostas até a renúncia de Theresa May

Do poder à renúncia

líder conservadora assumiu o governo nas semanas posteriores ao referendo de 2016, que decidiu pelo Brexit. O resultado tinha levado à renúncia do também conservador David Cameron, de quem May foi ministra do Interior por seis anos.

Apesar de ser considerada cética sobre a União Europeia, ela havia defendido a permanência do Reino Unido no bloco. No entanto, May teve pouco envolvimento na campanha do referendo e insistiu na necessidade de limitar a imigração — pauta dos defensores do Brexit.

Um ano após assumir o gabinete de governo, a primeira-ministra convocou eleições legislativas para fortalecer sua posição, mas acabou perdendo a maioria absoluta. Desde então, aumentaram os ataques contra ela dos eurocéticos e pró-europeus de seu próprio partido.

Diversos ministros abandonaram May, descontentes com a ideia dela de negociar um relacionamento próximo com a União Europeia. Um deles foi o próprio Boris Johnson, que deixou o comando da diplomacia britânica em julho do ano passado. O apoio à gestão May só diminuiu de lá para cá.

Eleições para Parlamento Europeu começaram

O anúncio da renúncia de May ocorre um dia após o início das eleições para o Parlamento Europeu. O Reino Unido não queria participar do pleito, em que surge como favorito o Partido do Brexit, de Nigel Farage.

Os resultados serão conhecidos somente no domingo (26), quando termina a votação em todos os 28 países do bloco.

Theresa May durante pronunciamento nesta sexta-feira (24) — Foto: Toby Melville/ReutersTheresa May durante pronunciamento nesta sexta-feira (24) — Foto: Toby Melville/Reuters

Theresa May durante pronunciamento nesta sexta-feira (24) — Foto: Toby Melville/Reuters

O Reino Unido determinou sua saída da União Europeia para o dia 31 de outubro, após solicitar um adiamento da data que inicialmente estava estabelecida para 29 de março deste ano.

https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/05/24/theresa-may-anuncia-sua-renuncia-ao-cargo.ghtml


Was This Post Helpful:

0 votes, 0 avg. rating

Compartilhar:

Deixe seus Comentario