Categorias
MUNDO

Ataque a ônibus em Jerusalém deixa feridos


Polícia procura homem que disparou contra o veículo. Segurança israelense inspeciona ônibus após um ataque em Jerusalém
AHMAD GHARABLI / AFP Photo
Sete pessoas ficaram feridas, duas delas com gravidade, em um ataque armado a um ônibus no centro de Jerusalém neste domingo (14), informaram a polícia de Israel e equipes de resgate.
“A polícia foi informada de um tiroteio em um ônibus perto do Túmulo de Davi. A polícia isolou o local e está procurando um suspeito que fugiu”, disse a força de segurança.
Há muitos policiais no local onde o ataque ocorreu, perto do Muro das Lamentações, na Cidade Velha de Jerusalém.
“Há um total de sete feridos, todos conscientes, uma mulher e seis homens, dois dos quais estão em estado grave após o ataque terrorista na Cidade Velha de Jerusalém”, disse Zaki Heller, porta-voz do Magen David Adom (MDA), o equivalente israelense da Cruz Vermelha.
“Chegamos rapidamente ao local. Na rua Ma’ale Hashalom (…) os transeuntes nos chamaram para prestar socorros a dois homens de 30 anos que ficaram feridos no ônibus. Eles estavam conscientes e andando com ferimentos na parte superior do corpo”, disse um socorrista do MDA em comunicado divulgado pela entidade.
Na semana passada, o exército israelense realizou uma “operação preventiva” contra o movimento armado da Jihad Islâmica na Faixa de Gaza. O grupo respondeu disparando foguetes contra Israel.
Pelo menos 49 palestinos, incluindo combatentes da Jihad Islâmica e crianças, foram mortos na escalada militar do fim de semana, que culminou no domingo passado em uma trégua mediada pelo Egito.

Fonte: G1 Mundo

Categorias
MUNDO

Salman Rushdie é extubado e consegue falar, afirma colega do escritor

Depois de ter sido submetido a uma cirurgia, ele não precisa mais da ajuda de aparelhos para respirar e já consegue falar. Quem é Salman Rushdie?
Após ter sido esfaqueado em um ataque, Salman Rushdie apresentou melhoras e foi extubado. De acordo com o autor e colega Aatish Taseer, ele já não precisa mais da ajuda de aparelhos para respirar e consegue se comunicar com as pessoas. Andrew Wylie, agente de Rushdie, confirmou essa informação, mas sem dar mais detalhes.
O que se sabe sobre o homem acusado pelo ataque contra o escritor em Nova York
Quem é Salman Rushdie, autor de ‘Os Versos Satânicos’ alvo de ataque em Nova York
Rushdie também teve o fígado atingido e corre o risco de perder um olho. Depois de ter tomado entre 10 e 15 facadas, ele sofreu danos ao nervo do braço, mas deve recuperar os movimentos da mão.
O ataque
Autor do livro “Os versos satânicos” e jurado de morte pelo regime do Irã na década de 1980, Salman foi atacado nesta sexta-feira (12) quando estava prestes a dar uma palestra em Chautauqua, no estado de Nova York.
De acordo com a polícia local, ele foi esfaqueado no pescoço e no torso por um homem que correu para o palco. Depois de ter tomado aproximadamente 10 facadas, ele foi levado ao hospital de helicóptero e submetido a uma cirurgia.
Autor do atentado foi preso
O autor do ataque foi detido por policiais que estavam no evento e está preso. Ele se chama Hadi Matar, tem 24 anos e é de Nova Jersey. A polícia disse em entrevista coletiva que não estabeleceu ainda a motivação do crime.
Segundo as autoridades, aparentemente ele agiu sozinho.
Histórico
O livro “Os Versos satânicos” foi proibido no Irã em 1988, pois muitos muçulmanos o consideram uma blasfêmia. Um ano depois, o falecido líder do Irã, o aiatolá Ruhollah Khomeini, emitiu uma fatwa, ou edito, pedindo a morte de Rushdie.
A obra foi especialmente polêmica por ter um personagem inspirado no profeta Maomé retratado de forma considerada ofensiva por líderes da comunidade muçulmana.
O Irã também ofereceu mais de US$ 3 milhões (cerca de R$ 15 milhões) em recompensa para quem matar Rushdie.
Teerã assegurou em 1998 que a fatwa não seria aplicada. Mas o sucessor de Khomeini declarou em 2005 que Rushdie era um apóstata e que poderia ser morto impunemente. E o governo do conservador Mahmoud Ahmadinejad declarou em 2007 que a fatwa ainda era válida.

Fonte: G1 Mundo

Categorias
MUNDO

Cachorra é encontrada em caverna no Missouri depois de dois meses desaparecida


Abby, resgatada por exploradores, foi encontrada a uma profundidade de 152 metros. Abby, que ficou desaparecida por dois meses, foi resgatada por grupo de exploradores em uma caverna no Missouri, nos EUA.
Reprodução
Um grupo de exploradores encontrou a cachorra Abby, que tem treze anos e ficou desaparecida por dois meses em uma caverna no contado de Perry, no estado americano do Missouri. A caverna faz parte do sistema Moore, o segundo maior conjunto de cavernas do estado, com aproximadamente 35 quilômetros de extensão.
O espeleólogo Rick Haley, de 66 anos, e outras trinta pessoas exploravam a caverna como parte de um projeto para o Cave Research Foundation, um grupo sem fins lucrativos dedicado à preservação e ao estudo das cavernas dos Estados Unidos.
Haley era um dos coordenadores da expedição e foi avisado pelo corpo de bombeiros que uma cachorra estava perdida na caverna. Ela foi avistada por uma família que entrou no local antes do grupo de Haley e ligou para a emergência.
Para resgatar a cachorra, os bombeiros pediram ajuda a Haley, que convidou seu colega Gerry Keene — os dois têm treinamento especializado em resgate em cavernas.
Haley e Keene tiveram que atravessar passagens apertadas para chegar até Abby, que estava debilitada e bastante suja, a aproximadamente 152 metros da entrada da caverna. “Ela não tinha nenhum ferimento aparente, mas estava muito desnutrida, era só pele e osso. Ela também estava toda suja de lama”, contou Haley.
Haley se espreme para atravessar uma das passagens da caverna
Reprodução
Segundo ele, a cachorra estava assustada, relutante a andar, e precisou ser retirada da caverna em uma mala, envolta em um cobertor. O resgate durou cerca de 1 hora.
Um dos membros do grupo que estava com Haley tirou fotos da cachorra e saiu pelo bairro local à procura do dono, que ficou chocado quando soube da notícia.
Depois de sair da caverna, Haley explicou que, apesar de seu treinamento não abranger resgates de animais, muitas das técnicas e dos conhecimentos utilizados nos resgates de pessoas puderam ser aplicados.
Cachorra Abby é resgatada por espeleólogos em caverna no Missouri, nos EUA
Reprodução
Não se sabe por quanto tempo Abby ficou na caverna ou como ela sobreviveu durante os dois meses em que ficou desaparecida. Segundo Haley e Keene, o local em que ela foi encontrada tem um pequeno riacho com peixes e crustáceos pequenos, mas era totalmente escuro.
Haley acredita que a cachorra deve ter entrado na caverna ao perseguir algum animal, como um guaxinim ou um rato. Para ele, provavelmente Abby foi carregada para o fundo da caverna pelas fortes chuvas e inundações que atingem a região nessa época do ano.
Haley e seu colega Keene retiram cachorra Abby para fora da caverna.
Reprodução

Fonte: G1 Mundo

Categorias
ENTRETERIMENTO

Anitta reitera química com Maluma ao som do romantismo pop e sensual do reggaeton ‘El que espera’


Capa do single ‘El que espera’, de Anitta com Maluma
Divulgação
Resenha de single
Título: El que espera
Artistas: Anitta e Maluma
Composição: Anitta e Maluma
Álbum: Versions of me (Deluxe)
Edição: Warner Records
Cotação: ★ ★ ★
♪ Marota, Anitta tem caracterizado o single El que espera – em rotação desde a noite de quinta-feira, 11 de agosto – como DR com Maluma ao som de reggaeton.
A definição faz sentido quando se lê a letra em espanhol da composição inédita – uma das músicas da iminente edição deluxe do quinto álbum de estúdio de Anitta, Versions of me (2022) – e quando se sabe dos desajustes da relação profissional da artista carioca com o astro colombiano do reggaeton, com quem abriu parceria há seis anos no single Sim ou não (2016).
Foi ao lado de Maluma e de J. Balvin que Anitta começou a abrir as portas do mercado pop latino de língua hispânica. Contudo, a cantora se desentendeu com Maluma, com quem somente se reconciliou em 2018.
Sétimo single do álbum Versions of me, El que espera é reggaeton de suave batida pop criada com doses equilibradas de romantismo e sensualidade.
A música está longe de ter o poder aliciador de Gata (Abby Keen, Anitta, Chencho Corleone, Edwin Vasquez Vega, Everton Bonner, John Taylor, Lloyd Willis, Orlando Valle e Sly Dunbar), reggaeton promovido como o single anterior do álbum Versions of me.
Contudo, El que espera se escora na química entre os artistas, exposta na gravação e no clipe filmado por Anitta com Maluma na Espanha sob direção de Mike Ho.
Mesmo sem cara de hit blockbuster que pode mudar o status do álbum Versions of me no universo pop (a edição deluxe terá outras músicas inéditas), El que espera reitera a afinidade pop entre Anitta e Maluma. Ainda assim, esperava-se (um pouco) mais…

Fonte: G1 Entretenimento

Categorias
ENTRETERIMENTO

Viola Davis publica vídeo de paraense dançando em ponto turístico de Belém


Brasileiros comentaram postagem da atriz norte-americana reconhecendo seu Mário e Estação das Docas. Há cerca de um mês cenas dele dançando ganham diferentes trilhas sonoras. Viola Davis publica vídeo de paraense dançando em ponto turístico de Belém
Redes sociais/Reprodução
A atriz norte-americana Viola Davis compartilhou em sua rede social um vídeo do paraense ‘Seu Mário’ dançado na Estação das Docas, um dos principais pontos turísticos do Pará. A cena do morador de Belém viralizou há cerca de um mês ao som de diferentes trilhas sonoras. Dessa vez, na postagem de Viola, ele dança ao som de Kate Bush.
“Heading confidently into the weekend like “, diz a atriz na legenda no vídeo postado na sexta-feira (12) e que até a tarde deste sábado (13) tinha mais de 2 milhões de visualizações e ao menos 3 mil comentários; entre eles, estão de muitos de brasileiros que conhecem Belém ou seu Mário, incluindo a cantora paraense Gaby Amarantos: ”Meu país Pará internacional’, disse.
Initial plugin text
A atriz vencedora do Oscar e do Emmy ainda adicionou à sua postagem um emoji da bandeira nacional brasileira.
O homem que aparece no vídeo compartilhado por Viola é o artista Mário Lúcio Pereira Saldanha , de 70 anos. Ele costuma ir ao ponto turístico de Belém com seus fones e dança no local.
Mário Saldanha, conhecido como “seu Mário”, viralizou ao dançar em ponto turístico de Belém
Lissa de Alexandria/g1
Mário não possui telefone e a reportagem não conseguiu contato com ele após a publicação de Viola. Em julho, o g1 conversou com ele após cenas suas viralizarem e ele se disse surpreso pela repercussão.
“Eu sabia que tinham feito vídeo meu, mas não sabia que tinham publicado nas redes sociais. Cheguei em casa e meu neto falou ‘vovô, te vi no celular, o senhor está famoso’. Eu sabia que um dia eu ia ser famoso e me sinto realizado com o que está acontecendo, não esperava que a terceira idade fosse ser assim”, contou ao g1 há cerca de um mês.
Na ocisão, ele também dançou para a reportagem do g1 e contou que passava por situação difícil e que a dança é para ele terapia e profissão.
‘Seu Mário’ ganha a internet dançando na Estação das Docas, em Belém
Leia mais:
VÍDEO: Idoso viraliza ao dançar em ponto turístico de Belém: ‘Parece que estou voando’, diz
Além da Estação das Docas, ele frequenta a Praça da República, onde também chama atenção com a dança. Mário Saldanha disse em julho ao g1 que, enquanto estiver vivo, fará coisas para valorizar o que é bom na vida, e que sorrir é uma necessidade.
“Se você não sorrir, você fica necrosado por dentro”.
Mário Saldanha quer voltar a trabalhar com teatro para ter condições de mudar de casa
Lissa de Alexandria/g1
MAIS VÍDEOS com notícias do Pará

Fonte: G1 Entretenimento

Categorias
MUNDO

Taiwan agradece aos EUA por manterem segurança no Estreito de Taiwan


O Ministério das Relações Exteriores do país relatou que treze aviões da força aérea chinesa invadiram a região, considerada uma barreira não oficial entre os dois países. Soldado vigia estreito de Taiwan, nas ilhas Matsu, as mais próximas do continente sob controle taiwanês
GETTY IMAGES/via BBC
TAIPÉ – O Ministério das Relações Exteriores de Taiwan expressou “sincera gratidão” neste sábado (13) aos Estados Unidos por terem tomado “ações concretas” para manter a segurança e a paz no Estreito de Taiwan. O Ministério relatou que treze aviões do exército chinês passaram pela região.
O coordenador norte-americano do Indo-Pacífico, Kurt Campbell, disse na sexta-feira (12) que a China “exagerou” em resposta à visita da presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan, evento que desencadeou dias de tensão ao redor da ilha — que a China vê como seu próprio território.
O Ministério das Relações Exteriores do país disse em comunicado que a “intimidação militar e econômica não provocada” da China “fortaleceu ainda mais a unidade e a resiliência do campo democrático global”.
Entenda a importância de Taiwan
Em um comício neste sábado, no sul de Taiwan, para as eleições locais, que estão marcadas para o final de novembro, a presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, disse que não está apenas enfrentando candidatos rivais, “mas também a pressão da China”.
“Os taiwaneses são muito entusiasmados e amam a liberdade e a democracia, então muitos bons amigos internacionais vieram a Taiwan para nos apoiar. Isso é normal e bom, mas a China ameaça e intimida Taiwan”, disse ela.
A China continua sua atividade militar perto de Taiwan, embora em uma escala muito menor em comparação com a semana passada. O Estreito de Taiwan, cujo limite foi ultrapassado por treze aviões chineses, atua como uma fronteira não oficial entre os dois territórios.
Na terça (9), 16 aviões de guerra da China invadiram o espaço de defesa aérea de Taiwan. No mesmo dia, o governo taiwanês autorizou o início de exercícios militares com munição real, em resposta às ofensivas chinesas.

Fonte: G1 Mundo

Categorias
ENTRETERIMENTO

Salman Rushdie: o que se sabe sobre o homem acusado pelo ataque contra o escritor em Nova York


Um homem de 24 anos, identificado pelas autoridades como Hadi Matar, foi acusado por tentativa de homicídio e agressão Salman Rushdie foi atacado durante palestra no oeste do estado de Nova York
GETTY IMAGES/BBC
O suspeito de esfaquear o escritor britânico Salman Rushdie em um evento em Nova York na sexta-feira (12/08) foi formalmente acusado por tentativa de homicídio e agressão neste sábado (13).
Hadi Matar, de 24 anos, foi detido sem a possibilidade de fiança, segundo o gabinete do Procurador Distrital de Chautauqua, no Estado de Nova York.
Quem é Salman Rushdie, autor de ‘Os Versos Satânicos’ alvo de ataque em Nova York
Salman Rushdie: representante do Hezbollah afirma que grupo ‘não sabe nada’ sobre ataque a escritor
O homem mora na cidade de Fairview, em Nova Jersey, de acordo com o porta-voz da polícia de Nova York, Eugene J. Staniszewski.
Ele tinha um ingresso para assistir à palestra que Rushdie, de 75 anos, estava ministrando no Instituto Chautauqua, no oeste do estado de Nova York.
Segundo Staniszewski, quando o escritor e apresentador do evento estavam no palco, o suspeito esfaqueou Rushdie pelo menos uma vez no pescoço e uma no abdômen. Ele também feriu levemente o moderador, Henry Reese.
Após horas de cirurgia, Rushdie permanece conectado a um aparelho respirador.
“As notícias não são boas. Salman provavelmente perderá um olho, os nervos de seu braço foram cortados e seu fígado foi esfaqueado e danificado”, disse Andrew Wylie, seu agente literário, sobre seu estado de saúde.
Salman Rushdie foi atendido por um médico que estava na plateia logo após o ataque
BBC
O suspeito
Uma análise dos perfis de Matar nas redes sociais sugere que ele é simpático às causas do Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica, segundo a rede de televisão americana NBC News.
O Exército dos Guardiães é uma importante força militar e política no Irã – no entanto, nenhum vínculo foi estabelecido definitivamente com o suspeito.
Matar nasceu nos Estados Unidos de pais que emigraram do Líbano, segundo afirmou um oficial libanês à agência de notícias Associated Press.
O ataque e a segurança do evento
De acordo com o porta-voz da polícia, a equipe de organização do evento e pessoas que estavam na plateia pularam sobre o suspeito no momento do ataque e o derrubaram. Ele foi preso no local.
Rushdie foi inicialmente tratado por um médico que estava na plateia, assim como Reese, que sofreu lesões faciais, mas já foi liberado.
Staniszewski afirmou que a polícia “não tem indicação do motivo” do ataque.
Em referência ao atentado contra o escritor britânico, a governadora do estado de Nova York, Kathy Hochul, assegurou que “um policial estadual se levantou e salvou sua vida, protegendo ele e o moderador”.
Uma testemunha na plateia disse ao jornal The New York Times que viu um homem alto e magro pular no palco e acertar Rushdie três ou quatro vezes no rosto, e então viu o sangue: “Ele estava coberto de sangue, havia sangue derramado por todo o chão. O sangue cobria seus olhos e suas bochechas.”
Um escritor identificado como Carl LeVan, que também estava participando do evento, escreveu em sua conta no Twitter que Rushdie “foi esfaqueado várias vezes antes que o atacante fosse contido pela segurança”.
Vários participantes indicaram que não havia revista de malas, detectores de metal ou outras medidas de segurança na entrada do evento.
Ameaça de morte e asilo
Rushdie, que vive nos Estados Unidos desde 2000, foi escalado para participar da conferência organizada pela organização City of Asylum (Cidade do Asilo) para falar justamente sobre “sua experiência como artista exilado nos Estados Unidos”, ao lado de Henry Reese, presidente da organização.
A palestra de Rushdie intitulava-se “More Than Shelter” (Mais do que Abrigo) e discutia o caráter dos Estados Unidos “como uma terra de asilo e lar para a liberdade criativa de expressão”.
Em 1989, Rushdie foi ameaçado de morte pelo Irã por uma da suas principais obras, o livro Versos Satânicos (Companhia das Letras), publicado em 1988.
O então líder raniano, aiatolá Khomeini, condenou o livro e ofereceu uma recompensa de milhões de dólares pela morte de Rushdie — que sofreu uma tentativa de homicídio no mesmo ano.
A obra do escritor foi especialmente polêmica por ter um personagem inspirado no profeta Maomé retratado de forma considerada ofensiva por líderes da comunidade muçulmana.
Rushdie foi forçado a viver escondido por vários anos. A ameaça de morte causou a ruptura das relações entre o Reino Unido e o Irã por mais de uma década.
Até agora, o governo iraniano permanece em silêncio sobre o ataque.
No entanto, a agência de notícias oficial do país, a IRNA, publicou em seu serviço inglês informações sobre o ataque.
– Este texto foi originalmente publicado em https://www.bbc.com/portuguese/internacional-62536536

Fonte: G1 Entretenimento

Categorias
MUNDO

Homem suspeito de atacar Salman Rushdie é indiciado por tentativa de homicídio, diz promotor


Hadi Matar, de 24 anos, está preso sem fiança. Rushdie sofria ameças de mortes há mais de 30 anos, desde quando o governo do Irã anunciou uma recompensa para quem o matasse. Suspeito de atacar Salman Rushdie é preso e acusado de tentativa de homicídio
AP/Charles Fox via AP
WASHINGTON – Hadi Matar, suspeito de esfaquear o escritor Salman Rushdie em um evento em Nova York, na sexta-feira (12), foi acusado de tentativa de homicídio e está detido sem fiança, disse a promotoria do condado de Chautauqua neste sábado (13)
Hadi Matar, um homem de 24 anos de Fairview, Nova Jersey, foi indiciado por tentativa de homicídio em segundo grau e agressão em segundo grau, disse o promotor distrital do condado, Jason Schmidt, em nota.
Schmidt disse que autoridades estaduais e federais, inclusive em Nova Jersey, estão trabalhando para entender o planejamento e a preparação do ataque e determinar se mais acusações devem ser apresentadas.
Quem é Salman Rushdie, autor de ‘Os Versos Satânicos’ alvo de ataque em Nova York
Salman Rushdie: representante do Hezbollah afirma que grupo ‘não sabe nada’ sobre ataque a escritor
Rushdie, escritor indiano que passou anos escondido, depois que o Irã pediu aos muçulmanos que o matassem por causa de seu romance “Os Versos Satânicos”, foi esfaqueado no pescoço e no torso em palco durante uma palestra na sexta-feira (12). Após horas de cirurgia, Rushdie estava sob ventilação e incapaz de falar.
Salman Rushdie, de 75 anos, atacado a facadas em uma palestra nos Estados Unidos.
Grant Pollard/Invision/AP
A Reuters não conseguiu identificar imediatamente se Matar, que comprou um ingresso para o evento na Chautauqua Institution, no oeste de Nova York, tem representação legal.
Uma revisão preliminar das redes sociais do acusado, por parte das autoridades, mostrou que ele era simpático ao extremismo xiita e ao Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica, conhecido popularmente como Guarda Revolucionária Iraniana, segundo a NBC de Nova York.
Hadi Matar nasceu na Califórnia e se mudou recentemente para Nova Jersey, disse a reportagem da NBC, acrescentando que ele tinha uma carteira de motorista falsificada.
As polícias de Nova York e Nova Jersey não responderam imediatamente a um pedido de comentário sobre a reportagem da NBC.
(Por Kanishka Singh)

Fonte: G1 Mundo

Categorias
ENTRETERIMENTO

Autora J.K. Rowling recebe ameaça de morte no Twitter


A autora, que já recebeu diversas ameaças de morte, agradeceu o apoio recebido e avisou que a polícia já está envolvida no caso.
Reprodução/Instagram
A autora J.K Rowling sofreu uma ameaça de morte no Twitter. Depois de manifestar sua indignação com o ataque contra o também escritor Salman Rushdie, um homem a respondeu, sugerindo que ela também está sob o risco de um atentado contra a sua vida.
“Estou me sentindo muito mal agora. Espero que ele fique bem”, comentou Rowling sobre a tentativa de homicídio de Rushdie. Em seguida, o usuário @MeerAsifAziz1 a respondeu, dizendo: “Não se preocupe, você é a próxima”.
Escritor Salman Rushdie, esfaqueado por um homem nos EUA, pode perder um olho e está em aparelho respirador
Quem é Salman Rushdie, autor de ‘Os Versos Satânicos’ alvo de ataque em Nova York
Na sequência, ela pediu ajuda ao suporte da plataforma e agradeceu às manifestações de apoio que recebeu. “Obrigado pelas mensagens. A polícia já está envolvida nesta e em outras ameaças”, escreveu.

Fonte: G1 Entretenimento

Categorias
MUNDO

Rússia ameaça romper relações bilaterais com os EUA


Moscou considera que relações com Washington podem chegar a “ponto de não retorno” se EUA confiscarem ativos russos ou declararem o país um Estado patrocinador do terrorismo.
Missíl balístico intercontinental é exibido durante comemorações do Dia da Vitória na Praça Vermelha, em Moscou
REUTERS/Evgenia Novozhenina
Moscou alerta para “ponto de não retorno” nos laços diplomáticos se Washington confiscar ativos russos ou declarar o país como Estado patrocinador do terrorismo. A Rússia alertou neste sábado (13) que qualquer apreensão de ativos russos pelos Estados Unidos destruiria completamente as relações bilaterais entre Moscou e Washington.
A ameaça foi feita pelo chefe do Departamento Norte-Americano do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Alexander Darchiev, citado pela agência de notícias russa TASS.
As relações entre Moscou e o Ocidente se deterioraram drasticamente desde que o presidente Vladimir Putin enviou dezenas de milhares de tropas para a Ucrânia em 24 de fevereiro, numa guerra de agressão que chamou de “operação militar especial”.
O cabo-de-guerra do desarmamento nuclear entre EUA e Rússia
Potências ocidentais responderam com sanções econômicas, financeiras e diplomáticas sem precedentes, incluindo o congelamento de cerca de metade das reservas de ouro e divisas da Rússia, que estavam perto de 640 bilhões de dólares antes de 24 de fevereiro.
Altas autoridades do Ocidente, incluindo o chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrell, sugeriram apreender as reservas congeladas para ajudar a financiar a futura reconstrução da Ucrânia.
“Alertamos os americanos das consequências prejudiciais de tais ações, que prejudicariam permanentemente as relações bilaterais, o que não é do interesse deles nem do nosso”, afirmou Darchiev em entrevista à TASS.
Não ficou imediatamente claro a quais ativos ele estava se referindo.
Os Estados Unidos e seus aliados europeus também congelaram 30 bilhões de dólares em ativos pertencentes a indivíduos ricos que têm laços com o presidente russo, incluindo iates, helicópteros, imóveis e obras de arte, segundo informações do governo de Joe Biden.
Em julho, um promotor americano afirmou que o Departamento de Justiça dos EUA estava buscando uma autoridade mais ampla do Congresso para confiscar os bens dos oligarcas russos como meio de pressionar Moscou sobre suas ações na Ucrânia.
G7 pede que Rússia devolva controle de usina nuclear à Ucrânia
‘Estado patrocinador do terrorismo’
À TASS, Darchiev também afirmou que Moscou já advertiu os Estados Unidos de que os laços diplomáticos seriam muito danificados e poderiam até mesmo ser rompidos se a Rússia for declarada um “Estado patrocinador do terrorismo”.
O governo Biden tem estado sob pressão para incluir Moscou nessa lista de países, da qual já fazem parte nações como Cuba, Irã, Síria e Coreia do Norte.
Tanto a Câmara quanto o Senado americano introduziram resoluções pedindo que o secretário de Estado, Antony Blinken, faça tal declaração. No mês passado, dois senadores dos EUA viajaram a Kiev para discutir a iniciativa com o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski.
“Se aprovado, isso significaria que Washington teria atravessado um ponto de não retorno, com os mais graves danos colaterais às relações diplomáticas bilaterais, desde sua redução ou até mesmo a ruptura das mesmas. Os americanos foram advertidos”, disse o russo.
Na última quinta-feira, o parlamento da Letônia declarou a Rússia como Estado patrocinador do terrorismo devido à guerra na Ucrânia, e fez um apelo aos aliados ocidentais para que imponham sanções mais abrangentes contra Moscou.

Fonte: G1 Mundo