Categorias
TOCANTINS

Desenvolvimento do turismo no Tocantins passa por mãos femininas

As mulheres empreendedoras fazem a diferença nas diversas regiões turísticas do Estado.

Elas estão de malas prontas, inclusive para viajar sozinhas, mas também estão nos barcos, nos hotéis, nos restaurantes, nas trilhas que levam os turistas aos mais belos cantos do Estado. “A presença feminina no trade turístico é cada vez mais forte, assumindo seu protagonismo, com a mulher à frente dos empreendimentos, empregando todo o seu equilíbrio e determinação em negócios lucrativos”, pontua o presidente da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa do Tocantins (Adetuc), Jairo Mariano.

“Estamos trabalhando desde 2017 em São Salvador, na questão de alavancar a pesca esportiva no município e na região Sul do Estado”, conta a empresária Cássia Moreira, que também é condutora de pesca. “Somos mulheres que entraram neste meio masculino, onde somente os homens mandavam e hoje nós temos mulheres trabalhando na área”, comemora ela, que também possui pousada às margens do rio Tocantins, no município localizado a 406 km de Palmas.

Cássia enfrentou o preconceito e se tornou empresária e condutora de pesca esportiva

“Trabalho nesse ramo há 16 anos e convido todas as mulheres que tenham vontade de fazer diferença em suas regiões a não terem medo. Crie coragem e faça! Hoje, tenho minha pousada, trabalho diretamente com a pesca esportiva e acredito que estou fazendo a diferença”, comemora Cássia, ressaltando que o famtour realizado em outubro de 2020 pela Adetuc, por meio do “Plano Operacional da Pesca Esportiva do Estado do Tocantins”, alavancou a atividade na região.

Atualmente, o Estado possui 47 mulheres guias de turismo inscritas no Cadastro Nacional de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), que não informa dados sobre condutores.

Uma paixão

 

Oficialmente, Cirene Morais é hoteleira em Natividade (220 km de Palmas) há mais de 20 anos, mas sua trajetória no empreendedorismo começou muito antes, por meio do trabalho de seus pais, Eurival Milhomens Maranhão e Jorsina Coelho Maranhão. “Minha vida empreendedora começou cedo, meus pais tinham hotel, restaurante, salão de festa, sorveteria. Aos 7 anos já ajudava”, comenta ela, que atuou como funcionária pública, mas foi estimulada pelo pai a ter seu próprio negócio.

Cirene hipotecou o patrimônio da família para construir hotel

“Não pensava em voltar para Natividade e muito menos montar um hotel”, conta. “Fizemos uma pesquisa de mercado e entendemos que aqui era o maior entroncamento rodoviário do Tocantins. Hipotecamos tudo que era nosso e do pai para construir o hotel”, lembra, ressaltando que a orientação aos colaboradores é sempre receber com simpatia, respeito e higiene, “fazer tudo com muito carinho.”

A Covid-19 cobrou seu preço, reduzindo drasticamente a ocupação dos leitos, mas sua família seguiu com as portas abertas. “Hoje, apesar da pandemia, apesar de todas as dificuldades, estamos consolidados no mercado”, comemora, lembrando que sempre sonhou com o desenvolvimento do turismo nas Serras Gerais. “A região não é mais o corredor da miséria! Para mim, é uma paixão, um sonho poder ver a região despertando para o turismo”, comemora.

Entusiasta do turismo

Há 6 anos Fernanda Castro era uma servidora pública e entusiasta das belezas naturais das Serras Gerais. “Começamos como voluntários, meu marido e eu. Achávamos que a região precisava de uma visibilidade que não tinha, e através do projeto que o Sebrae/TO encabeçou a gente começou a ajudar, até sermos orientados a nos formalizar; minha sogra, Malu Isogai, abriu a empresa e nós viramos empreendedores através de uma cachoeira na propriedade da família, e estamos crescendo”, conta ela, que também é presidente da Associação de Desenvolvimento do Turismo Sustentável e Produção Associada das Serras Gerais do Tocantins (Assegtur).

Fernanda trocou voluntariado por atuação empreendedora

Segundo Fernanda, com o aumento do fluxo turístico em Rio da Conceição (365 km de Palmas), mais pessoas da família estão sendo agregadas ao negócio, e a ideia é atrair mais pessoas. “Depois de tanto treinamento, agora vejo negócio em tudo, vejo oportunidade de gerar renda, criar empregos, fazer dinheiro, possibilidades de fomentar ainda mais o turismo”, diz entusiasmada, enfatizando a riqueza do turismo, que “abrange várias áreas, como alimentação, artesanato, atração cultural, hospedagem e os atrativos naturais que o Tocantins tem aos montes.”

 

Fazendo a diferença

“Eu acredito em um mundo onde a mulher, além de ser empoderada também é empreendedora, mesmo que muitas pessoas ainda achem que o mundo é dos homens, a mulher ocupou seu lugar e também se destaca”. As palavras de Rosilene Pereira da Silva, mais conhecida como Rosa de Fogo, ecoam entre mulheres que, assim com ela, precisaram sair de casa para ganhar o sustento dos seus filhos. “Me sinto honrada em ser uma empresária do turismo.”

Sua trajetória como empreendedora começou com uma caixa de isopor com latinhas de cerveja e unidades de pão com carne moída vendidas na praia principal do município de Peixe, a 285 km de Palmas, na região Sul do Estado. “Hoje, me considero uma empreendedora de sucesso, agradeço a Deus por saber que posso ser inspiração na vida de outras mulheres com histórias parecidas com a minha. Sou mãe, dona de casa, empresária e agora ocupo uma pasta no poder público (secretária de Turismo de Peixe), que é mais um desafio”, relata.

Rosa de Fogo vendia pão com carne e hoje tem hotel e restaurante

Rosa de Fogo revela que recentemente esteve na região do Jalapão para uma consultoria na área de gastronomia e percebeu o empenho das mulheres em assumir o papel de empresárias e colaborarem no desenvolvimento do Estado, do município e ganharem o sustento de casa. “Meu recado para as mulheres: empoderem-se e façam a diferença nesse novo mundo!”

Seleucia Fontes / Governo do Tocantins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *